Tudo começa com Luz

bigbangDixit autem Deus: “Fiant luminaria in firmamento caeli, ut dividant diem ac noctem et sint in signa et tempora et dies et annos, 15.ut luceant in firmamento caeli et illuminent terram. Et factum est ita. 16.Fecitque Deus duo magna luminaria: luminare maius, ut praeesset diei, et luminare minus, ut praeesset nocti, et stellas. 17.Et posuit eas Deus in firmamento caeli, ut lucerent super terram 18.et praeessent diei ac nocti et dividerent lucem ac tenebras. Et vidit Deus quod esset bonum.

Bíblia Sagrada, Genesis 1, 14-18

 Bem-vindo! Este é um blog de astrologia tradicional para leitores modernos. Talvez por isso mesmo, eu fique na dúvida: como começo a falar de Astrologia para quem ouviu pouco sobre o assunto?

Na antiguidade clássica, minha tarefa seria bem mais fácil. Certeza! Naqueles tempos o conhecimento era transmitido tanto pela mitologia quanto pela filosofia. Alguns conhecimentos em relação ao mundo natural derivavam de metódos racionais com o objetivo de perceber, descrever e possivelmente controlar a natureza. Outros conhecimentos eram basicamente sabedorias. Por exemplo, a relação que temos com a busca por um propósito para a vida, ou mesmo a admiração e humildade que se deve ter em relação ao Universo.

Assim sendo, escrevo este primeiro post citando o mais importante livro da tradição judaico-cristã. Uma tradição que certamente você conhece. Em Genesis, após dividir os Céus da Terra, Deus decide que no firmamento deveria haver “fontes de luz que iluminem a Terra e demarquem o dia e a noite. Servirão também para estabelecer a sucessão das estações, e a seqüência dos dias e dos anos”. Pois aí está a sua primeira lição de Astrologia tradicional: os planetas ou estrelas não são deuses! Eles – e tudo o que existe no Cosmos, você inclusive! – são um prolongamento do Criador.

E o que mais? Aprendemos com os textos tradicionais que a Luz é o motor propulsor de tudo. E, fique sabendo que o pessoal da NASA concorda.

Em nosso sistema solar, a Bíblia nos fala do protagonismo do Sol, a maior luminária, que teria sido criado para “dirigir o dia”. A Lua, menor em tamanho, brilha durante a noite. “Deus fez também os outros corpos celestes. Foi assim que fixou essas fontes de luz no firmamento para iluminarem a Terra, para determinarem os dias e as noites, para separarem a luz das trevas”.

“E assim aconteceu. (…) E Deus ficou satisfeito.”

Leave a reply

Your email address will not be published.