Fale um pouco sobre mim!

Uma consulta astrológica deve ter um objetivo, um propósito.

Parece óbvio? Começo de novo, então. Existe um hábito bastante difundido pela astrologia moderna de fazer ou aceitar consultas que iniciam com o cliente perguntando “Fale um pouco sobre mim?”.  A contrapartida do astrólogo é fazer uma descrição do cliente, falando de tudo um pouco e pouco sobre muito. O cliente, imagino, sairá satisfeito (ou não) da consulta na medida dos acertos do astrólogo.

Porém, as situações do “fale sobre mim” são problemáticas em muitos níveis.  Em primeiro lugar, uma descrição “meia boca” só serve para fins de entretenimento. O cliente fica animado em saber que “ele é de Leão” e por isso é tão passional. São bobagens sem fim que desmerecem a astrologia, o astrólogo e não presta um serviço significativo para o cliente.

Não me entenda mal, eu reconheço (ainda que não pratique) a relevância da Astrologia como suporte as ideias psicanalíticas do grande Carl Jung.  Sim, há respeitáveis psicólogos e terapeutas que utilizam a Arte paralelamente às suas práticas clínicas. Ocorre que uma análise psicológica séria não será necessariamente apreciada pelo cliente. Afinal, ouvir “Sim, você tende a ser muito invejoso” exige uma honestidade intelectual que nem todos possuem.

Qual é a abordagem em Astroecliptica?

Astrologia Natal é basicamente o estudo do mapa do nascimento do indivíduo com elementos (testemunhos) para a vida toda. Com efeito, uma análise do diagrama do nascimento de uma pessoa permite também descrever a personalidade do indivíduo. Além disso, sinalizam-se os tipos de experiências e eventos que ocorrerão na vida como um todo: relacionamentos, filhos, propósito de vida, lazer, espiritualidade, carreira e finanças. Tudo num panorama da vida toda.

Neste contexto, as possibilidades são muitas mas delimitadas. O cliente deve pensar de modo concreto o que realmente pretende extrair da consulta. Alguns critérios podem ajudar a aclarar os propósitos de uma consulta Natal:

  • Relacionar benesses e dificuldades: quais áreas da vida transcorrerão com mais facilidade e quais apresentam atrito ou poucos resultados naturais?
  • Orientação e estabelecer metas: quais são os talentos e características naturais que possuo (quais passam despercebidos)?
  • Caminhos alternativos: determinada área da vida não vai bem, como investigar alternativas.

Neste sentido, o ideal é que o cliente venha com uma problemática razoavelmente definida. Assim, ao marcar uma consulta, espero um e-mail com suas 2 ou 3 maiores prioridades.

Leave a reply

Your email address will not be published.