Casa 11

O astrólogo judeu Ibn Erza  (1089–1164) escreveu que um planeta na Casa 11 é como um “homem na casa de seus amigos”. A metáfora é excelente para esta casa que a tradição chama de “lar dos bons espíritos”; uma das mais benéficas. No mapa natal ela indica os amigos e aliados que encontramos em nossas vidas, bem como as esperanças que trazemos conosco.

Amigo é coisa séria, não se engane. Os britânicos, por exemplo, dividem as pessoas entre conhecidos, colegas de trabalho e – finalmente – os amigos. Isso se encaixa com a definição dos antigos. A Casa 11 se refere àqueles que vêm em nossa ajuda e socorro nos momentos mais sombrios: os amigos de verdade! Por derivação, ela indica nosso relacionamento com eles.

O conceito de “lar dos bons espíritos” é difícil de transmitir em nossos tempos modernos. Falamos de esperança, aquela que dá base aos nossos sonhos e expectativas nesta vida. Alguns textos usam a palavra “fé”, mas aqui ela deve ser entendida mais no sentido de otimismo do que de afiliação religiosa. Confiança e reconhecimento social dos pares também dão o tom da Casa 11 e, apropriadamente, Júpiter encontra júbilo aqui.

Particularmente importante em horária, esta casa representa os recursos do seu empregador, portanto, seu salário. Posto que a Casa 10 é a casa do Rei, hoje do Estado, a Casa 11 revela os recursos desse. Assim, o erário público e os agentes públicos encontram-se significados aqui.